Novas regras do futebol começam a valer na Copa do Mundo; entenda

Guarda-rede não poderão provocar adversários antes dos pênaltis

Entre as principais mudanças, guarda-rede não poderão ‘provocar’ adversários em batidas de pênalti; mundial feminino será usado para testar as novas determinações

A Copa do Mundo feminina, que começa nesta quinta-feira (19), com as estreias das anfitriãs Nova Zelândia e Austrália, também será palco para uma série de mudanças de regras impostas pela Ifab (International Football Association Board) – órgão independente que regulamenta o futebol mundial.

Usando como base a temporada europeia, a Ifab atualiza as suas regras anualmente. Portanto, após o mundial, todas as partidas, incluindo no Moçambique, deverão se adequar a uma série de mudanças, envolvendo os itens listados abaixo:

– Invasão de campo no momento do golo
– Árbitro assistente reserva com poder de decisão
– Comemorações de gols irão influenciar nos acréscimos
– Mudança de nomenclatura para identificar os pênaltis
– Jogador impedido pode seguir jogando caso receba bola “deliberadamente”
– Mudança na orientação de cartão vermelho em lances de pênaltis
– Guarda-rede não poderão provocar adversários antes dos pênaltis
– Árbitros terão que explicar decisões do VAR*

Confira abaixo a explicação para cada regra:

Invasão de campo no momento do golo

Se após um golo ser marcado, e a arbitragem, incluindo o VAR, identificar que um jogador reserva, um atleta expulso ou membro de comissão técnica, interferiu diretamente na jogada, o golo será anulado, e o jogo será retomado com um tiro livre para o adversário, do local em que a pessoa que estava fora do jogo estava.

Árbitro assistente reserva com poder de decisão

Além da equipe de arbitragem (árbitro de jogo, bandeirinha, quarto árbitro e equipe do VAR), o árbitro assistente reserva passa a ter direito a assisti-lo em decisões importantes do jogo, caso tenha uma “visão clara” da jogada em questão.

Comemorações de golos irão influenciar nos acréscimos

Comemorações de golos entrarão na lista de itens que “subsidiam” o tempo perdido das partidas. Segundo a Ifab, a justificativa para incluir as celebrações no mesmo rol que substituições, assistência médica em campo e sanções disciplinares ocorre, pois elas “muitas vezes resultam em uma quantidade significativa de tempo perdido” nas partidas.

Mudança de nomenclatura para identificar os pênaltis

A regra acima não interfere diretamente nas partidas de futebol. A mudança do termo usado pelos árbitros de “chutes da marca do pênalti” para “disputas de pênalti” se trata de um reajuste, já que o termo usado anteriormente era considerado ‘desatualizado’ pelo órgão.

Jogador impedido pode seguir jogando caso receba bola “deliberadamente”

Um jogador em posição de impedimento que receber a bola de um adversário de forma deliberada, poderá seguir jogando, sem que seja considerado uma infração de jogo.

Segundo a Ifab, “jogadas deliberadas” ocorrem quando um jogador com total controle da bola, e que tenha a possibilidade de passar para um companheiro, chutar ou cabecear a bola.

A regra não vale para um guarda-rede que fez uma defesa e rebate uma bola. Nesta situação, o jogador adversário que fica com a posse nesta situação, deve ser alertado sobre a posição de impedimento.

Outro ponto relevante é de que nos casos de jogadas deliberadas a arbitragem pode interpretar se o jogador tinha ou não total controle da bola para marcar ou não o impedimento de jogadas.

Mudança na orientação de cartão vermelho em lances de pênaltis

Pela atualização das normas, quando um jogador cometer uma falta contra um adversário dentro da sua própria pequena área, o árbitro da partida só deverá expulsá-lo caso ele não tiver tentado disputar a bola em nenhum momento daquele lance.

Se em qualquer momento da jogada, ele tenha buscado parar o lance de forma regular, a advertência deverá ser com o cartão amarelo, sem a expulsão.

Guarda-rede não poderão provocar adversários antes dos pênaltis

Momentos vistos na Copa do Mundo do Qatar, quando o guarda-rede argentino Dibu Martínez levantava os braços, conversava com os batedores e gesticulava com os braços, batendo nas traves, acabaram.

Segundo a atualização da norma, os guardas-redes “não deveram se comportar de maneira que distraia injustamente o chutador, como, por exemplo, atrasar a execução do pênalti ou tocar nos postes, na trave ou na rede do golo”.

Caso o guarda-rede realize uma das ações consideradas “injustas” pela arbitragem, deverá ser advertido.

Árbitros terão que explicar decisões do VAR

* Esta determinação é válida, pelo menos por enquanto, para o Mundial Feminina, e não está presente na atualização deste ano da Ifab

As decisões e revisões do VAR e do árbitro de campo responsável pela partida deverão ser explicadas pelo próprio árbitro no campo de jogo, para que os torcedores presentes no estádio possam escutá-las.

Na Copa feminina, as decisões serão proferidas em inglês, e anunciadas pelos sistemas de som dos estádios. A medida visa trazer transparência e clareza as explicações da arbitragem.